Em atendimento à legislação eleitoral, os demais conteúdos deste site ficarão
indisponíveis de 2 de julho de 2022 até o final da eleição estadual em São Paulo.

Loading...
90 anos depois – A Semana de Arte Moderna

Histórico de exposições permanentes, temporárias e itinerantes

EM CARTAZ | 2020 | 2019 | 2018 | 2017 | 2016 | 2015 | 2014 | 2013 | 2012 | 2011 | 2010 | 2009 | 2008 | 2007

90 anos depois – A Semana de Arte Moderna
Palácio dos Bandeirantes, de 03 de abril a 29 de julho de 2012

Não faltam pesquisas, teses, publicações e ideias a respeito das manifestações artísticas que ocorreram em São Paulo, no Theatro Municipal, durante a Semana de Arte Moderna, em fevereiro de 1922. Ao longo de seus 90 anos, esse mito tem sido permanentemente vasculhado, decodificado, reconhecido e, eventualmente, desvalorizado em relação à sua importância, por meio de diversos pontos de vista e perspectivas.

São Paulo, em sua condição fervilhante de recente enriquecimento e súbito crescimento, desfez-se do passado, transformando-se, industrializando-se e flertando com o moderno em todas as áreas do conhecimento. Apesar de seu reconhecido conservadorismo, a cidade estava pronta para mais um passo em direção à revolução cultural e artística que tanto ansiava. Foi, portanto, a mesma sociedade conservadora e tradicional paulista – cuja elite foi formada com o dinheiro do café – que também patrocinou as atitudes incendiárias dos artistas e intelectuais da Semana, marco do Modernismo brasileiro.

É nesse contexto social, econômico e cultural, somado ao impacto das decorrências e desdobramentos estéticos modernistas, que a expressiva coleção de arte moderna dos Palácios do Governo de São Paulo celebra os 90 anos da Semana de Arte Moderna. Reunida nesta exposição, a série de pinturas e esculturas do Acervo Artístico-Cultural dos Palácios percorre todos os períodos do movimento modernista brasileiro, desde o que o antecede até a década de 1950.

Com a intenção de uma apresentação clara, o percurso expositivo considerou alguns núcleos que fazem associações e evidenciam relações entre as obras, por vezes, dispensando a ordem cronológica das produções ou mesmo deixando de apresentar trabalhos de artistas que também participaram da construção da modernidade no Brasil, porém não representados no acervo dos Palácios.

A exposição “90 anos depois” também apresenta obras que pertencem à coleção da Pinacoteca do Estado de São Paulo e a coleções particulares, além da reprodução de fotografias e documentos da Coleção Mário de Andrade e da Coleção Anita Malfatti, ambas do Instituto de Estudos Brasileiros da Universidade de São Paulo – IEB/USP.

Para esta mostra, visando essa revisão e uma leitura atualizada da coleção de arte moderna dos Palácios, soma-se à Curadoria do Acervo Artístico-Cultural dos Palácios a contribuição da Associação Brasileira de Críticos de Arte – ABCA, com textos de autoria de Carlos Soulié Franco do Amaral, Daisy Peccinini, Elza Ajzenberg, Elvira Vernaschi e Lisbeth Rebollo Gonçalves. Essa pesquisa – que será publicada na íntegra no catálogo a ser lançado durante o período da exposição – engloba a Semana de Arte Moderna, o período antecedente, os artistas precursores do Modernismo e o contexto após o evento, dos novos debates e artistas, apresentando relevantes olhares e perspectivas dos movimentos que formaram os conceitos da história da arte moderna brasileira.

Ana Cristina Carvalho
Curadora do Acervo Artístico-Cultural dos Palácios do Governo do Estado de São Paulo

Governo do Estado de SP