Em atendimento à legislação eleitoral, os demais conteúdos deste site ficarão
indisponíveis de 2 de julho de 2022 até o final da eleição estadual em São Paulo.

Loading...
exp_arte_e_historia_nas_colecoes_publicas_paulistas_2018_pb

Histórico de exposições permanentes, temporárias e itinerantes

EM CARTAZ | 2020 | 2019 | 2018 | 2017 | 2016 | 2015 | 2014 | 2013 | 2012 | 2011 | 2010 | 2009 | 2008 | 2007

Arte e História nas coleções públicas paulistas Museu Paulista, Pinacoteca do Estado, Acervo dos Palácios
Palácio dos Bandeirantes, de 04 de julho de 2018 – 20 de janeiro de 2019

Logo após o início da era republicana no Brasil, as autoridades paulistas começaram a constituir coleções públicas de obras de arte e objetos históricos. Tal decisão estava ligada à ideia de que a formação de uma nação – e do povo paulista – deveria ser embasada não apenas na instrução escolar e universitária, mas também na formação cultural de cidadãos, que deveriam ter sua sensibilidade estimulada para as artes e para a história de nosso povo.

A convicção governamental da importância de formar coleções e cidadãos favoreceu a criação das primeiras instituições museais de São Paulo: o Museu Paulista (inaugurado em 1895) e a Pinacoteca do Estado (criada em 1905), cujos acervos foram adquiridos com verba pública ou reunidos por meio de doações privadas. Essas coleções públicas foram complementadas pela contínua reunião de objetos decorativos e de obras de arte do terceiro acervo público mais antigo de nosso estado: aquele reunido nas sedes governamentais dos Campos Elísios, Morumbi, Horto Florestal e Campos do Jordão, que formam o atual Acervo Artístico-Cultural dos Palácios do Governo do Estado de São Paulo.

Uma amostra dessas três coleções públicas paulistas pioneiras está reunida nesta exposição. Seu objetivo é permitir aos visitantes reconhecerem o notável resultado do empenho mais que centenário de valorização do patrimônio cultural paulista e brasileiro pelo governo do Estado de São Paulo.

Governo do Estado de SP