Em atendimento à legislação eleitoral, os demais conteúdos deste site ficarão
indisponíveis de 2 de julho de 2022 até o final da eleição estadual em São Paulo.

Loading...
Árvores de São Paulo – Retratos da Natureza

Histórico de exposições permanentes, temporárias e itinerantes

EM CARTAZ | 2020 | 2019 | 2018 | 2017 | 2016 | 2015 | 2014 | 2013 | 2012 | 2011 | 2010 | 2009 | 2008 | 2007

Árvores de São Paulo – Retratos da Natureza
Pinacoteca do Estado, de 27 de março a 02 de maio de 2010

Trinta imagens inéditas reunidas nesta exposição são parte da série “Árvores de São Paulo – Retratos da Natureza”, adquirida pelo Governo do Estado de São Paulo para integrar a coleção do Acervo Artístico-Cultural dos Palácios. Produzidas entre maio de 2009 e fevereiro de 2010, as fotografias de Valdir Cruz mapeiam, identificam e registram a variedade de espécies de árvores encontradas no território paulista.

A técnica utilizada pelo artista – o pigmento sobre papel, de quatro cinzas e dois pretos – foi enriquecida, neste trabalho, de uma sétima cor com um princípio de selênio. O resultado que se revela aos nossos olhos é a nitidez da tonalidade da imagem, gerando uma luminosidade expressiva.

O movimento da natureza percebido por Valdir Cruz transforma a experiência artística em realidades plenas de reflexão, distribuídas em inúmeras possibilidades de camadas de leitura. O registro do meio ambiente consiste apenas na primeira camada. Com um olhar mais adiante, pode-se perceber que o artista dá um tratamento humano para as árvores. Retrata-as como se fossem pessoas: são galhos que se contorcem, troncos que dançam e formas sensuais que conferem à sua expressão uma musicalidade que foge à objetividade; imagens que sugerem o som e murmúrios ao vento, que percebem a vida entre as réstias de luz e a exuberância dos troncos, o vigor das raízes, o balanço das folhas e, acima de tudo, a dimensão da criação divina.

Os laços que unem o trabalho fotográfico do artista ao tema relativo à preservação do patrimônio cultural e ambiental brasileiro estão sempre presentes em seus ensaios. Percorrendo rios, montanhas, campos e vales do estado de São Paulo, o fotógrafo utiliza-se, nesta nova série, da mesma poética dos trabalhos anteriores: o confronto entre a fragilidade e a força da natureza.

Desse modo, a importância deste projeto vai além do que a fotografia nos mostra: é, também, um sinal de alerta para a conscientização e o compromisso de cada um na preservação da flora diversa e abundante que São Paulo ainda possui.

Ana Cristina Carvalho
Curadora do Acervo Artístico-Cultural dos Palácios do Governo do Estado de São Paulo

Governo do Estado de SP