Em atendimento à legislação eleitoral, os demais conteúdos deste site ficarão
indisponíveis de 2 de julho de 2022 até o final da eleição estadual em São Paulo.

Loading...
Oratórios – Arte e Devoção

Histórico de exposições permanentes, temporárias e itinerantes

EM CARTAZ | 2020 | 2019 | 2018 | 2017 | 2016 | 2015 | 2014 | 2013 | 2012 | 2011 | 2010 | 2009 | 2008 | 2007

Oratórios – Arte e Devoção
Palácio Boa Vista, de 08 de abril a 21 de junho de 2009

A exposição reúne obras pertencentes ao acervo dos palácios governamentais paulistas, a coleções particulares e ao Museu Paulista, da Universidade de São Paulo.

Registros encontrados dão conta que as primeiras caravelas que aqui aportaram, em 1500, traziam um oratório que guardava uma imagem de Nossa Senhora da Esperança. No entanto, seu uso generalizado nas moradias brasileiras só aconteceu no século XVIII, permanecendo até o século XX, quando muitos deles foram abandonados nas capelas em ruínas ou nas santas cruzes em beiras de estrada.

Oratórios são objetos que expressam a fé e a devoção da humanidade desde os tempos mais remotos e refletem a passagem do universo grandioso das igrejas para o espaço íntimo do cotidiano doméstico. Mesmo sendo minúsculas capelas ou modestas caixas para abrigar o santo de devoção, representam o altar-capela das casas-grandes de engenho, a partir do século XVII, cujas características estéticas seguiram os modelos da época, especialmente o Barroco e o Rococó.

A ornamentação de seus interiores recebeu no fundo e nas portas, em sua maioria, pinturas coloridas com flores ou figuras de santos da invocação preferida. Outros são de coloração mais simples, porém enobrecidos com detalhes em douramento. Raros exemplares desses tipos são apresentados nesta exposição, reunidos para trazer a possibilidade de resgatar a memória do cotidiano da arte e devoção das casas brasileiras.

Ana Cristina Carvalho
Curadora do Acervo Artístico-Cultural dos Palácios do Governo do Estado de São Paulo

Governo do Estado de SP